M I G A L H A S

Botero
Ela era garçonete. Ela era mãe.
Ela foi menina. Ela foi só esperança.
Ela já serviu para outro tipo de coisa.
Ela já foi outra pessoa.
E foi cozinhando, anotando pedidos e servindo outros tipos de pessoas que ela sentia seu estômago doer. E olha que não era uma dor qualquer. Era um dor que vinha como uma coceirinha que começava a esquentar e parava. E começava mais intensa e incômoda e parava.E começava e parava. E começava e parava, até ela ficar extremamente irritada.
- Deve ser úlcera, gastrite... come alguma coisinha menina! Dizia o patrão cada vez que a moça se queixava.
Ela, a garçonete, não pensava em outra coisa. Passava a mão em uma migalha de pão e enfiava na boca. Era um alívio! Minutos depois a dor voltava.
- Come alguma coisa mulher! Dizia o patrão.
Ela, que era mãe, sabia que com a fome não se brincava. Então, passava a mão em uma ou duas batatinhas fritas, enfiava na boca e comia. Mas não estava com fome. Era um alívio... um meio alívio. E a dor começava outra vez e ela comia. E não estava com fome. E comia. E vinha a dor e o patrão dizia:
- Come minha filha, come!
Ela, que já tinha servido para outro tipo de coisa, comia e comia e comia. E não é que a bendita dor não passava!
Ela, que já foi outra pessoa, se olhava no espelho e o espelho olhava para ela. E o que via? Via que estava gorda, mas gorda, muito gorda. Estava nutrida, rechonchuda, entupida, untuosa... Na verdade estava cheia... muito cheia.
Ela, que foi só esperança, ainda sentia bem lá no fundo, bem além da dor, um vazio. Um vazio inexplicável na alma.
E a dor? A dor continuava a ser sentida do mesmo jeito.

Comentários

Raquel Stüpp disse…
amo amo amo


quis copiar, posso?
Raquel Stüpp disse…
saudade


vem pra cá


vem escrever textos na beira da praia, vem....
Michelle disse…
Olá, vim retribuir a visita. Também gostei do seu blogue e prometo voltar. Vi no seu perfil que é de Imbituba, acabei de voltar de férias em Garopaba, logo aí, rs...
Até mais
Gabi Carvalho disse…
A dor que ela sentia não era física. Era na alma. Dor de uma pessoa que se deu conta de que sua vida não era a vida que sonhara um dia. Espero que eu não passe um dia por isso. Gostei muito do deu blog! Abs
8807066-13 disse…
Muito interessante a forma de como vc retrata tuas personagens... um cotidiano perturbador e melancolico... é de rir com lagrimas nos olhos... é a vida meu bem! implacavel... outro prabens!
Joel disse…
Gostei de verdade do seus textos. Estiloso.
Valeu pela visita (receber uma opinião sua, que escreve tão bem, que tem um texto anímico, é gratificante)
Blza?? eu curti bastante o seu blog,parabenss, abrço!!
mARINA mONTEIRO disse…
eu não falo mais da saudade...


te amo sempre. meu capetinha favorito
mARINA mONTEIRO disse…
te indikei numa brinkadeira

ve no meu blog

bjbj
Gostei do modo rápido como passa de uma idéia pra outra. Frases curtas. Dá uma cadência interessante. Valeu

http://www.palavraderedator.blogspot.com/
Bruno disse…
Lindo ... como sempre ... eu sou simplesmente suspeito ... parabens ... Beijo grande
Raquel Stüpp disse…
te indiquei na mesma brincadeira que a marina


kkkkkkkkkkkkkkkkk
Estêvão Cruz disse…
Muito interessante o texto. Construção muito boa!
Essa dor que muitas vezes dói e não conseguimos identificar de onde vem atrapalha e muito nossas vidas.

http://devaneiosdopoeta.blogspot.com
Fabiana Lazzari disse…
heimmmmmmmmm
parabens novo mestrandoooooooooo!
Vem pra festinha amanhã!!!
lá na elaine festa do "tô passad@"
VEm...vem!
a partir das 19!
bjicos
Thays Lima disse…
Muito bom gostei dos seus escritos!
Bom final de semana pra você!
Lisa disse…
oi, cara de boi! só dando uma passadinha... bjks!
mARINA mONTEIRO disse…
LEMBREI MUITO DE TI.
FUI VER UMA PEÇA ONTEM
COM MARIETA SEVERO E ANDREA BELTRAO. UM TEXTO OTIMO. UMA ESTETICA TUUUDO. ATRIZES DO CARALHO.
TE KERIA DO MEU LADO VENDO TUDO AQUILO.
UM HUMOR QUE TU GOSTARIAS MUITO, TENHO CERTEZA.

BJS
Lu Holanda disse…
oi!!! te acompanho agora e daqui pra frente viu?
bjs
Lisa disse…
tá de férias? :P
que lindo!
Anônimo disse…
O amor sempre vence!
Waleska disse…
Nossa muito bom seus textos,como me ajudou viajar por esses personagens.
Voce está de parabéns!!!
Roberto Ney disse…
Nossa, me deixou sem palavras, hehe!
Começei lendo um texto interessante e me deparei com uma grande obra...
pode me esperar que eu volto.
(:
Roberto Ney disse…
ah! e eu tambem cansei de ser um monte de coisa. estou reinventando outras, hehe!
ah! mas queria postar um comentário em cada coisa que escreveu seu blogh não teve nada que não me fizesse ler de cabo a rabo tudo inteiro...visite-me e um abraço! Marta
Anônimo disse…
Mesmo diante uma vida tão banal ela ainda sim poderia virar o jogo, buscar dentro da alma aquilo realmente desejado.
Anônimo disse…
molto intiresno, grazie