FUGI DE MIM

Foto de Giuseppe Nasca

*Ela sentia tanta saudade que já era toda uma.
Por fim já tinha até esquecido o que era.
Não conseguia percebê-la nem descrita em velhas cartas.
Muito menos entendia quando lhe falavam sobre.
Dentro dela, não havia espaço para mais nada.
Ocupava-se com coisas tão insignificantes que até
pareciam importantes.
O necessário foi esquecido e o imprevisto transformou-se rotina.
O que não lhe causava sono despertava tristeza.
Da alegria, ouviu falar ainda quando era criança...
parecia ser tão bonita.
As poucas coisas que conheceu foram o necessário para viver.
Sua alma foi o tempo e o seu coração, ainda, só saudade.
Do quê? Não se sabe.
Os que souberam, são hoje todos...
Saudade.

Comentários

8807066-13 disse…
Sutil e envolvente! no meio de tantas informações tuas palavras tocam o coração! aconchegante ter passado por ak... saudações!
mARINA mONTEIRO disse…
ai a saudade

contento-me em ver que, como sempre, pensamos, sentimos e expressamos coisas semelhantes, e isso me aconchega e conforta......te saber parte de mim sempre será uma alegria inusitada, e que nossos olhos sigam vendo as coisas dessa maneira que quase ninguém vê.

levo-te smepre comigo, aqui nas terras distantes e por vezes frias, em plenos 4o graus!!!

amo-te. xanixani
Quel. disse…
Roubei esse texto
alê disse…
bonito texto!!!!

tô compreguiça de ficar comentanto!!
Anônimo disse…
SE O TEMPO VOLTASSE ATRAS...
Anônimo disse…
Bonito também, alguma inspiração pessoal? Pode ser quem sabe, ja te observei mais feliz.